15 de dez de 2008

Férias!


29 de nov de 2008

Dia 29: Dia do Gnocchi da Fortuna!!!!



A LENDA


Diz a lenda que no dia 29 de dezembro de um ano qualquer, São Pantaleão, vestido de andarilho, perambulava por um vilarejo na Itália.

Com bastante fome, São Pantaleão bateu à porta de uma casa e pediu comida. A família, que era grande e pobre, não tinha muito o que comer. Apesar disso, eles dividiram o seu gnocchi com o andarilho, cabendo a cada um sete massinhas de batata.

São Pantaleão comeu, agradeceu a acolhida e foi embora. Quando a família foi recolher os pratos, descobriu que embaixo de cada um havia bastante dinheiro. Por isso, o dia 29 de cada mês ficou conhecido como o dia do Gnocchi da Fortuna ou da Sorte.

O ritual desse dia consiste em colocar dinheiro embaixo do prato, comer os primeiros sete pedacinhos da massa em pé, fazer um pedido para cada um deles e depois, comer à vontade.
Aliada à atual crise mundial resolvi que seria uma boa oportunidade de comemorar esse dia e, diante da dúvida sobre a economia norte-americana, resolvi apostar no Euro!


A RECEITA


Em junho, aproveitando o friozinho da Serra Gaúcha, passei um fim de semana no Villa Europa em Bento Gonçalves. Em meio aos vinhedos da Miolo, pude apreciar a cozinha franco-italiana do Restaurante Leopoldina, cujo cardápio é assinado pelo Chef Philippe Remondeau - renomado Chef responsável pelo Restaurante Francês Chez Phellipe, em Porto Alegre.

Comprei essa semana o livro do Remondeau e vi que tinha a receita do "Gnocci de Pommes de Terre Douce" ou Gnocchi de Batata Doce que experimentei na ocasião e que fiquei encantada. Sendo assim, aproveito o dia do Gnocchi da Fortuna para dividir essa receita com vocês!



Gnocchi de Batata Doce ao Gratin de Gorgonzola



Para o Gnocchi
Ingredientes:

1/2 kg de batata doce
125 ml de leite integral
100 g de manteiga
200 g de farinha de trigo
2 ovos
5 g de sal
Pimenta do reino moída na hora à gosto

Modo de Preparo:

Descasque as batatas e coloque-as para cozinhar em água e sal. Esprema-as como um purê.
Ferva o leite com a manteiga e o sal. Incorpore a farinha de trigo e deixe secar no fogo, mexendo sempre. Adicione os ovos um a uma e o purê de batatas. Tempere com a pimenta moída na hora. Modele os gnocchis e reserve.

Em uma panela com água fervente, coloque a massa para cozinhar por 2 minutos ou até que as bolinhas emerjam à superfície. Coloque-as em um prato, cubra-as com o molho de gorgonzola e, com a ajuda de um maçarico, faça o "gratin".


Para o Molho
Ingredientes:
1 pote de 350 g de nata (ou creme de leite fresco)
Queijo gorgonzola à gosto
Maizena misturada em um pouco de leite
Noz-moscada à gosto
Modo de Preparo:
Coloque a nata para ferver. Acrescente o queijo amassado e misture. Coloque a maizena misturada ao leite e ferva por alguns instantes. Tempere com a noz-moscada e sirva.

Fonte: A receita do gnhocci foi retirada do livro Gastronomia Francesa de Philippe Remondeau.

16 de nov de 2008

Noite de Sábado: Entre Civil e Penal, um Bolo de Caneca!



Final de semestre... estudando feito louca...

Pois bem, na madrugada, passando do assunto de Civil para o de Penal, me deu uma vontade incomensurável de comer um bolo de chocolate. Mas tem um pequeno problema: o maridão está viajando. Só volta de um curso em Chicago daqui a um mês... como vou fazer um bolo só para mim? Daqui a pouco vou precisar é de um SPA para perder os quilinhos adquiridos com esta delícia... e aí a lâmpada acende: o bolo de caneca!!!!

O bolo de caneca tomou conta de vários blogs de culinária e resolvi fazê-lo para testar.
Se você, aí do outro lado, quer fazer um bolo rápido (3 minutos no microondas) - é isso mesmo! Não escrevi errado - é isso que esse bolo promete...



Ingredientes:
1 ovo pequeno
4 colheres (sopa) de leite
3 colheres (sopa) de óleo
2 colheres (sopa) rasas de chocolate em pó
4 colheres (sopa) rasas de açúcar
4 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo
1 colher (café) rasa de fermento em pó

Modo de Preparo:
Coloque o ovo na caneca e bata bem com garfo. Acrescente o óleo, o açúcar, o leite, o chocolate e bata mais um pouco. Depois acrescente a farinha de trigo e o fermento. Mexa delicadamente.
Leve ao microondas na potência máxima por 3 minutos.

Comentários:
A caneca deve ter capacidade para 300ml e a medida da colher é sempre rasa.
Fiz um brigadeiro mole de microondas para ir comendo aos poucos, como cobertura do bolo de caneca. Esta foi a salvação!
Tudo bem que a receita não exige tanta preparação, não leva nenhum ingrediente sofisticado, mas nunca comi um bolinho tão "xoxo"... a aparência fica feia e o sabor é tão sem graça... quase uma esponja, coitado! A receita está aí. Não recomendo. Se quiser fazer, ok, mas é por sua conta e risco!

1 de nov de 2008

Tricks or Treats? - Docinho de Abóbora Caramelado



Tricks or Treats? - Travessuras ou Gostosuras?


Originária de um rito pagão, existente na Inglaterra ao tempo dos Celtas, entre os séculos VII e VI a.C., a celebração do Halloween ou Dia das Bruxas chegou nos Estados Unidos em 1840, através dos Irlandeses fugidos da fome. No Brasil, sob influência norte-americana, o Dia das Bruxas é comemorado em 31 de outubro e tem como principais símbolos:

- Abóbora: Simboliza fertilidade e sabedoria.
- Bruxa: Figura principal do halloween, as bruxas estão diretamente relacionadas eo ritual do halloween, assim como a elaboração de feitiços.
- Vassoura: Simboliza o poder feminino e serve para limpar a carga negativa.
- Caldeirão: Os convidados da festa devem tirar de dentro do caldeirão moedas e mensagens com pedidos aos espíritos.
- Gato preto: Simboliza a capacidade de meditação, de recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade.
- Aranha: Simboliza o destino e, o fio que tecem suas teias, simboliza o meio, o suporte para seguir em frente.
- Sapo: Simboliza o poder da magia feminina.
- Morcegos: Simbolizam a clarividência.
- A vela: Simboliza o caminho para os espiritos do outro plano astral.
- Cor laranja: Simboliza a vitalidade e a energia que gera a força.
- Cor preta: Cor do Mestre.
- Cor roxa: Cor da magia ritualística.

Segundo a lenda, na noite de 31 de outubro, os espíritos dos mortos voltariam à terra para entrar nos corpos dos vivos. Uma forma de escapar seria a utilização de máscaras horripilantes ou oferecer doces para ganhar-lhes a simpatia.

Eu prefiro oferecer doces...então, seguindo a tradição da abóbora, segue a minha oferenda! ;)




Docinho de Abóbora Caramelado



Ingredientes:

1/2 kg de abóbora-moranga picada
1 gema peneirada
2 colheres (sopa) de manteiga
1 caixinha de leite condensado
2 xícaras (chá) de coco fresco ralado
1 colher (chá) de cravo-da-índia em pó
calda
2 xícaras (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de vinagre

Modo de Preparo:

Leve ao fogo uma panela com a abóbora e 2 xícaras (chá) de água por 15 minutos, ou até ficar macia. Retire do fogo, escorra a água e passe a abóbora, ainda quente, pelo espremedor, aparando o purê em uma panela. Misture a gema, metade da manteiga, o leite condensado, o coco e o cravo. Leve ao fogo baixo e cozinhe, sem parar de mexer, por 15 minutos, ou até obter um doce encorpado que desgrude do fundo da panela. Retire do fogo, transfira o doce para uma tigela, cubra com o filme plástico e deixe amornar por 15 minutos. A seguir, unte as mãos com a manteiga restante e faça 40 bolinhas de 2 cm de diâmetro. Coloque-as em um refratário e leve à geladeira por 1 hora.

Calda: leve ao fogo em outra panela o açúcar, 1 xícara (chá) de água e o vinagre e deixe cozinhar, sem mexer, até obter uma calda caramelada em ponto de fio grosso. Com um auxílio de um garfo, banhe as bolinhas na calda, retirando o excesso, e disponha-as em 2 fôrmas forradas com papel-manteiga. Se preferir, decore com fios de caramelo.

Fonte: Revista Água na Boca

31 de out de 2008

É Halloween!


Para comemorar o Halloween virtualmente, a bruxinha aqui, em seu caldeirão, está preparando uma delícia que será postada amanhã!

27 de out de 2008

Intercâmbio Culinário: Bolo de Mel de Almeirim


Andei meio sumida do blog...a correria do dia-a-dia, principalmente os estudos, fizeram me dedicar menos à cozinha, que tanto gosto, nesses quase dois meses de ausência.

Para o "retorno ao fogão", nada mais prazeroso do que postar um desafio do Intercâmbio Culinário: primeiramente porquê a idéia de troca de receitas entre blogueiras do Brasil e de Portugal me pareceu muito divertida e saborosa e, em segundo, por ser eu, brasileira naturalizada portuguesa, filha de portuguesa e criada sob a influência da majestosa gastronomia lusitana, pude recordar, com esse desafio, os bons momentos que passei na cozinha da minha querida e inesquecível avó!





Quando a Leonor, do Blog Flagrante Delícia, me convidou para participar do desafio, fiquei super contente. Agradeço a Leonor, pelo convite e por ter compartilhado comigo uma receita de família que, acima de tudo, é muito saborosa!






Bolo de Mel de Almeirim

Ingredientes:
1/2 chávena de mel
1 e 1/2 chávena de farinha de trigo
1 colher (chá) de canela
1/2 chávena de azeite
1 chávena de açúcar
7 ovos
Raspas de limão


Modo de Preparo:
Pré-aquecer o forno a 180º C.
Misturar o mel, o azeite, as gemas, a farinha, a canela e as raspas de limão.
Bater as claras em castelo e juntar o açúcar, batendo até suspiro. Incorporar com cuidado a massa. Levar ao forno até que esteja cozido.

Observação de 'Sabores de Iaiá':
O Bolo de Almeirim é muito saboroso e, diferentemente do que me pareceu quando estava fazendo a receita, não é muito doce. Fica com a textura de um pão-de-ló, muito fofinho e excelente para acompanhar um delicioso chá . Para uma porção inteira, utilizar uma fôrma nº 24.
Para quem não tem muito contato com a culinária portuguesa, chávena é o mesmo que xícara.



2 de set de 2008

Semana de manutenção... e um novo layout a caminho...


Olá Pessoal!


Esta semana o blog estará em manutenção para o novo layout!

Em breve voltarei com novidades!

Um grande beijo!


31 de ago de 2008

Sábado de Acerolas... e uma Musse!!!!


Resolvido que no domingo faria um arrumadinho de fumeiro fui toda contente ao supermercado, lotado de um sábado pela manhã, comprar alguns legumes que faltavam para a completa confecção do tal arrumadinho.

Meus olhos brilharam quando vi, ali, na prateleira de frutas exóticas, em diversos tons de um lindo vermelho, "paradinhas" em uma bandeijinha branca, elas... as acerolas!





Que saudade que tenho de algumas frutas do norte e nordeste... acerola, pitanga, umbu, graviola, mangaba, cajá, cajú, jambo... (suspiro)... aqui em Porto Alegre raramente encontro polpa dessas frutas... aliás, só encontro "uma vez na vida e outra na morte" a polpa de acerola... talvez seja por isso que elas estavam na prateleira de frutas exóticas... tudo bem que aqui tenho aos montes morango, blueberry (mirtilo) e framboesa, coisa que em Salvador, só se encontra na Perini, em algumas épocas do ano...Enfim, as acerolinhas estavam ali, lindas para serem consumidas na hora. Peguei a bandeijinha e me assutei com o preço: R$ 20,00!!!!!!! Que horror! Acerola é tão baratinho em Salvador... uma bandeijinha dessas não sairia por mais de que 5 pila!!!!! Mas o que a saudade faz com agente!!!! Comprei a bandeijinha de acerolas!

No trajeto para casa matutei inúmeras coisas para fazer com as pequeninas: comê-las geladinhas in natura, mais um suco de vitamina C total composto de acerola com laranja (a acerola contém entre 40% e 80% mais vitamina C do que a laranja) e mais uma geléia de acerola! Ledo engano: a bandeijinha era uma bandeijinha messsssmo! Não daria para fazer tantas coisitas com as acerolitas!!!!



Ao chegar em casa dei boas risadas! A bandeijinha vinha com uma sugestão de receita! Pensei: "será que as pessoas não sabem o que se poderia fazer com acerolas????" Fui ler a tal da receita e vi que era de uma musse! Hummm, interessante! Parei de rir... pensei: "Que bom que veio a receitinha com a bandeijinha, assim experimento essa musse diferente". Já que se eu fizesse uma musse, utilizaria a receita da musse de maracujá, apenas substituindo a fruta... e as receitas que tenho são diferentes desta!



Então, além de comer algumas rubras acerolinhas fiz uma musse para comemorar meu achado!


Musse de Acerola

Ingredientes: (para 8 porções)

1 envelope de gelatina sem sabor incolor
350 g de acerolas
1 caixinha de leite condensado
2 xícaras (chá) de iogurte natural
1 e 1/2 xícara (chá) de água
1 e 1/2 xícara (chá) de creme de leite fresco

Modo de Preparo:

Dissolva a gelatina de acordo com as instruções da embalagem e reserve.
Lave as acerolas e retire as sementes. Bata-as no liquidificador com a água, o leite condensado e o iogurte, até obter uma mistura homogênea.
Adicione a gelatina previamente dissolvida e bata por mais 2 minutos. Transfira para uma tigela e reserve. Bata o ceme de leite na batedeira até obter um chantilly. Incorpore-o ao creme preparado, mexendo delicadamente. Distribua o creme em 8 taças individuais e leve à geladeira por 3 horas, ou até ficar firme.
Fonte: frutas Luma

26 de ago de 2008

Estou muuuito feliz!


Passei o fim de semana passado em Salvador. Fui para a formatura da minha cunhada e, como só deu para passar 2 dias, não deu para encontrar praticamente ninguém.

Apesar de ter matado as saudades de vários quitutes baianos, não cozinhei e, portanto, não postei nada, mas hoje, malas desfeitas e de volta à rotina, fiquei muito feliz ao checar meu e-mail: tinha um recadinho muito carinhoso das 4 Amigas na Cozinha.

Para comemorar os mil acessos em seu blog elas criaram um selinho, o prêmio Blog Inspirador, como forma de premiar os blogs que, de alguma maneira, as inspiraram.

Sabores de Iaiá foi um dos blogs escolhidos. Com grande alegria recebo esse selinho carinhoso, afinal, o prazer é meu em compratilhar algumas palavras, algumas receitas, um pouquinho de quem sou e do meu mundo.

Fico extremamente feliz e satisfeita em perceber que, de alguma forma e despretensiosamente, consigo "chegar" aí onde você está, nem que seja abrindo seu apetite!

À Fernada, Jacqueline, Jack e Leda, meu muito obrigada pelo carinho e por permitirem que eu faça parte do mundo de vocês! Desejo muitas receitas deliciosas e que possamos nos encontrar no fim do ano em Maceió!

18 de ago de 2008

Alimento Para a Alma

Um amigo conterrâneo escreve lindamente.
Adoro esse texto dele... um alimento para a alma!
Espero que saboreie!


Texto 1
Tenho amores de anteontem e nenhuma certeza. Beijei bocas incertas antes da perfeição solar da tua e morri mil mortes de amor quando beijastes outro. Agora tenho só esperas e as derradeiras flores para entregar. Todas feitas das últimas delicadezas. Conheço as labaredas que queimam entre tuas coxas e as febres que tecem tua rede de sedução. Me afasto como barco, que faz meia volta antes do cais e se desperdiça no mar. E, amanhã, será apenas, questão de tempo...
Por César Oliveira

17 de ago de 2008

Picadinho do Presidente - Chef Roberta Sudbrack

Apesar da feijoada ser a comida brasileira mais conhecida fora do Brasil, um picadinho tem lá seu lugar!

Em um domingão, servido com uma farofinha de manteiga, uma banana à milanesa e um ovo frito... ui! Que délis!!!! Esse picadinho que fiz é conhecido como "o picadinho do Presidente". Isso se deve ao fato de ser uma receita da Chef gaúcha Roberta Sudbrack, a qual comandou a cozinha do Palácio do Planalto durante o mandato do Presidente Fernando Henrique Cardoso. Dizem que o Presidente adorava esse picadinho...

Ingredientes:
(para 8 porções)

1,5 Kg de filé mignon
8 colheres (sopa) de manteiga sem sal
8 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
6 tomates sem pele e sem sementes, cortados em cubos
60ml de tomates tipo italiano passados na peneira
1 litro de demi-glacê (comprei pronto de um fornecedor daqui de Porto Alegre - ver a receita de demi-glacê da Roberta Sudbrack aqui!)
Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto






Modo de Preparo:

Corte o filé em cubos pequenos. Refogue numa panela com a manteiga e o azeite até dourarem. Tempere com sal e pimenta. Retire e reserve.

Na mesma panela, refogue a cebola e o alho. Adicione o tomate em cubos e a carne já preparada. Refogue um pouco mais, junte o tomate peneirado e o caldo de carne aquecido, deixe cozinhar em
fogo médio até encorpar.

Super fácil, né? O que dá trabalho é o demi-glacê. Sirva com farofa de manteiga, arroz branco, ovo frito e banana à milanesa (receita da banana aqui).

Banana à Milanesa

Fiz essa banana para acompanhar o "Picadinho do Presidente" (ver receita do picadinho aqui)! Apesar do preparo de uma banana à milanesa não ter segredo algum, segue uma receitinha básica, caso você ainda não tenha feito e queira experimentar!



Ingredientes:
(para 4 pessoas)


4 bananas d' água (pode-se fazer também com bananas da prata)
100g de farinha de rosca
2 ovos
Óleo para fritar










Modo de Preparo:


Aqueça o óleo. Enquanto isso, bata ligeiramente os ovos. Descasque as bananas. Passe-as uma a uma primieramente nos ovos e depois na farinha de rosca. Frite-as e sirva imediatamente.

Demi-Glace Nº 1 - Caldo de Carne Concentrado da Roberta Sudbrack

O demi-glace deriva do molho espagnol, que por sua vez é um molho-base para o preparo de todos os molhos escuros clássicos.


Como o demi-glace muda de restaurante para restaurante e de chef para chef, a receita aqui postada é a do demi-glace da Chef Roberta Sudbrack, utlizado por ela na preparação do "Picadinho do Presidente" (ver receita do picadinho aqui).


Ingredientes:

1 kg de ossos de boi
2 kg de ossobuco de boi ou de vitela
2 cenouras
2 cebolas
2 talos de salsão
2 talos de alho-poró
Azeite de oliva

Modo de Preparo:

Coloque os ossos e o ossobuco em uma assadeira e leve ao forno quente para dourar bem. Acrescente os vegetais em pequenos pedaços e deixe dourar um pouco mais. Retire da assadeira e coloque em uma panela com capacidade para 6 litros com um fio de azeite de oliva, para dourar um pouco mais até atingir uma cor escura.

Cubra com 6 litros de água fria e leve ao fogo alto sem tampar a panela. Deixe cozinhar por no mínimo 4 horas em fogo alto, retirando sempre a espuma da superfície. Adicione mais água fria
sempre que necessário. Abaixe o fogo e cozinhe por mais 2 horas. Desligue o fogo, tampe a panela e deixe repousar até o dia seguinte.

Retire a gordura da superfície, coe e volte ao fogo para cozinhar em fogo alto até chegar a 1/3 do volume inicial. Sempre que chegar a este volume, acrescente mais 1 litro de água fria e deixe reduzir novamente. Coe e repita este processo 3 vezes, até encorpar bem. Acondicione em recipientes. Pode ser congelado por até 3 meses e rende 2 litros.

16 de ago de 2008

Homenagem a Caymmi!


Vatapá
(Música de Dorival Caymmi)


"Quem quiser vatapá
Que procure fazer
Primeiro o fubá
Depois o dendê

Procure uma nega baiana oi
Que saiba mexer
Que saiba mexer
Que saiba mexer

Bota castanha de caju
Um bocadinho mais
Bota pimenta-malagueta
Um bocadinho mais

Amendoim, camarão
Rala um coco
Na hora de temperar
Sal com gengibre e cebola iaiá
Na hora de machucar

Não pare de mexer oh
Que é pra não embolar
Panela no fogo
Não deixa queimar

Com qualquer dez mil-réis
E uma negra oi
Se faz um vatapá"

11 de ago de 2008

Filé ao Molho de Tomates Secos e Azeitonas Pretas



Voltando às aulas na semana passada, me deparei com os códigos e acabei por não postar a receitinha do fim de semana. Apesar do atraso, aí vai a receita de um filé saboroso e prático que vi há tempos no programa Mais Você.


Ingredientes:

1 copo de vinho tinto
2 cebolas picadas
5 dente de alho picados
Sal e pimenta do reino a gosto
1 xícara de chá de salsinha e cebolinha picadas
1/2 xícara de chá de alecrim
1 colher de sopa de ervas secas
1 xícara de chá de azeite de oliva
1 1/2 kg. de filé mignon completamente limpo
1 xícara de chá de óleo de milho
1 xícara de chá de água
1 colher de sopa de amido de milho
1 xícara de chá de azeitonas pretas grandes descaroçadas
1 xícara de chá de tomates secos picados




Modo de Preparo:

Numa tigela faça uma marinada com o vinho, a cebola, o alho, o sal, a pimenta, a salsinha, a cebolinha, o alecrim, as ervas secas e o azeite de oliva. Misture bem e coloque a carne para repousar por no mínimo 3 horas. Após, retire a carne da marinada e limpe-a de todos os temperos.

Aqueça o óleo de milho em uma panela de boca larga ou numa frigideira funda e frite a carne de todos os lados, sem espetá-la com o garfo, até que adquira por igual uma cor amarronzada, porém sem escurecer demais. Quando estiver frita por igual, retire a carne e reserve-a coberta com um pano de prato. Descarte o óleo da fritura, deixando na panela apenas 2 colheres.

Coloque neste óleo toda a marinada. Deixe ferver em fogo baixo até engrossar. Junte a água. Coloque a carne reservada e deixe cozinhar por 15 minutos. Retire a carne e coe o molho em peneira fina apertando bem para aproveitar a essência dos temperos. Deixe engrossar e acrescente o amido dissolvido em um pouco de água fria. Junte as azeitonas picadas e os tomates secos picados igualmente. Deixe ferver em fogo baixo por 3 minutos. Fatie a carne não muito quente e cubra com o molho.

4 de ago de 2008

Novo Desafio!



Estarei participando com a Leonor (Flagrante Delícia) do desafio do Intercâmbio Culinário!
Farei uma receita de Portugal e minha amiga lusitana fará uma receita brasileira!
Dia 20/10/2008 nossas receitas serão publicadas!

3 de ago de 2008

1º de Agosto: Dia da Suíça e para mim, dia da Batata Rösti!!!!



Assim como comemoramos o nosso 7 de setembro, a Suíça ou Confederação Helvética, tem como o dia nacional o 1º de agosto.




Não que eu tenha alguma descendência Suíça, mas achei a data uma excelente desculpa para fazer a batata suíça ou batata rösti, prato típico da parte alemã desse país, que há tempos li a receita no blog da Carmencita e estava louca para fazer!






A receita que fiz é a mesma da minha amiga blogueira, sendo que a única diferença é que acrescentei pimenta-do-reino.





Batata Rösti Com Recheio à Napolitana




Ingredientes:
4 batatas grandes
1 fatia de bacon
Queijo mussarela em fatias
Presunto em fatias
Requeijão cremoso (tipo Catupiry)
1/2 tomate cortado em fatias finas
Orégano a gosto
Pimenta-do-reino moída na hora à gosto
Azeite de oliva





Modo de Preparo:
Coloque as batatas descascadas em uma panela com água no fogo. Após a fervura, conte 7 minutos e retire-as. Espere esfriar um pouco, embrulhe-as em papel alumínio e leve-as à geladeira até que estejam bem frias. Passe as batatas em ralo grosso.
Frite 1 tira de bacon. Tire o excesso de óleo e reserve.
Separe um pequeno bowl com água e sal que servirá para facilitar o manuseio da batata e salgá-la ao mesmo tempo. Em um outro bowl coloque as fatias finas de tomate, azeite de oliva, sal, orégano e pimenta-do-reino.
Unte uma omeleteira de 16 cm de diâmetro com manteiga.
Molhando a mãos no bowl com a água salgada, faça a camada base de batata, cobrindo o fundo da omeleteira. Coloque fatias de mussarela, presunto, tomate com orégano, pedacinhos de bacon e requeijão, deixando as bordas livres. Coloque por cima mais presunto e mais mussarela, deixando a batata bem recheada. Cubra a camada de recheio com outra camada base de batata, lembrando de molhar as mãos no bowl com água salgada e prensando levemente a camada base de batata. Leve ao fogo, regando com um fio de azeite, até que a batata esteja dourada dos dois lados.

31 de jul de 2008

Novo Layout


"Sabores de Iaiá" terá um novo layout até o final de agosto!

Até lá as receitinhas CONTINUARÃO sendo postadas!

29 de jul de 2008

Desafio TOP 10!!!!

Fiquei super feliz quando minha amiga blogueira, a Talula do Pra Ver e Comer, me indicou para participar das "10 Mais"!

Antes de falar do que trata o desafio, me solidarializo com a Tatula e a Ameixa Seca do Canela Moída sobre a receptividade dos blogs!!!!!


O desafio:
1º) Escolher as 10 receitas que mais gostei de fazer (e comer, claro!) e postar as fotos;
2º) Colocar o nome e link do blog da pessoa que me indicou;
3º) Indicar outras 5 amigas blogueiras para que façam o mesmo.

Minha escolha:
Como iniciei meu blog esse ano, não tenho uma infinidade de receitas para escolher, mas entre as 10 que devo indicar, minha escolha se deu a partir de duas análises: as que mais receberam comentários e as que mais gostei de fazer!

São elas:

A primeira da parada (receita aqui):
















Em segundo lugar (receita aqui):




















Em terceiro lugar (receita aqui):










































































Oitavo... quem diria... uma salada...teve comentários! (receita aqui):


















O Nono lugar (receita aqui):

















A lanterninha da parada (receita aqui):


















A indicação:
Indico para o desafio as amigas:

- A querida Leonor do blog Flagrante Delícia
- A amiga Isabel do blog Receitas da Belinha Gulosa
- As amigas Fernanda, Leda, Jacqueline e Jack do blog 4 Amigas na Cozinha
- A amiga Pilar do blog La Cozinha de Lechuza
- A amiga Carmencita do blog Da Caipinha ao Cafezinho

28 de jul de 2008

A Saga do Yakissoba de Carne - 1ª versão


Há tempos tenho estado com vontade de fazer Yakissoba e, nesse fim de semana, pensando o que fazer para o jantar, me lembrei da panela wok, comprada meses atrás que estava, tadinha, esquecida no armário da cozinha. Então pensei: "É isso! Um yakissoba de carne!"

Ao pesquisar receitas descobri que yakissoba quer dizer "macarrão frito" e que todo tipo de massa conhecida no ocidente tem como origem a China. Apesar da sua origem, esse prato criou raízes no Japão, sendo introduzido na era Heian (Séculos VIII - XII) e sendo estabelecido na Era Meiji (Séculos XIX-XX) com a abertura dos portos e instalação de bairros chineses em cidades portuárias. Devido a esse fato, muita gente pensa que o yakissoba é um prato típico japonês, mas é chinês!

O porquê da "saga" do Yakissoba:
Encontrei várias maneiras de se fazer yakissoba e tive a "brilhante" idéia de testar algumas, pelo menos. Não que eu seja uma aficionada por comida japonesa, quer dizer, chinesa -depois do que foi exposto acima-, mas achei divertida a idéia de colocar meu marido em frente a uma mesa para, durante algum tempo, experimentar as diversas formas de yakissoba e solicitar, após longo período de degustação, a opinião sobre a melhor receita! Sadista eu? ;)

(Foto da wok ainda sem o macarrão)

Então vamos para a receita!

Como estava um pouco rebelde no dia, a 1ª versão foi um mix de duas receitas que pretendo, ao longo da saga do yakissoba, na íntegra aqui postar!

Ingredientes:

100g de filé mignon em fatias bem finas
4 folhas de acelga cortadas em cubos
1 cenoura média cortada bem fina em diagonal
3 flores de couve-flor separadas em buquets pequenos
5 flores de brócolis cortadas em bouquets pequenos
1/3 de pacote de macarrão tipo chinês
300 ml de molho para yakissoba
15 ml de sake
Pimenta-do-reino branca a gosto
Óleo de gergelim torrado

Modo de preparo:

Cozinhe o macarrão até ficar ao dente e escorra toda a água.
Aqueça o óleo de gergelim torrado numa panela wok ou uma frigideira grande e frite o macarrão até ficar um pouco firme sem deixar queimar. Reserve.
Aqueça mais óleo de gergelim na wok e refogue a carne, aos poucos, até soltar o sangue. Coloque o sake e deixe evaporar um pouco. Ponha todos os legumes e deixe refogar por alguns minutos até cozinhar, atentando-se que a acelga, o brócolis e a couve-flor devem estar ao dente.
Acrescente o molho para yakissoba, adicione a pimenta e o sal a gosto, e coloque o macarrão reservado. Deixe um minuto para envolver o molho no macarrão e sirva ainda quente.