23 de jun de 2008

Picanha de Forno - Temperada com Mostarda







Adoro fazer essa receita: além de ser super prática, é super saborosa também!

A primeira vez que comi essa picanha foi na casa de um casal de amigos nossos que estavam morando em Curitiba (Carol e Branquinho) e quando cheguei em casa, comecei a fazer à minha maneira.

Carol, como boa mineira, é uma cozinheira de mão cheia. Sempre que a encontro, da última vez em Buenos Aires, volto com alguma receitinha nas mangas!



Para mim, a carne tem que estar dourada por fora e bem rosada por dentro.

Deixei a picanha ficar mais assada um pouquinho nesse caso por conta dos meus sogros, que estavam aqui em casa e preferem uma carne menos sangrenta do que comemos aqui no sul, mas quanto menos assada, mais macia a picanha ficará.

Pego uma peça de picanha e faço cortes horizontais por toda a superfície da gordura até quase chegar à carne.
Com uma faca apropriada para corte de carnes, faço furos em toda a carne, não esquecendo os lados, para uma maior penetração dos temperos (aflore seu instinto selvagem)!
Besunto a carne com: 1 cabeça de alho amassado (para 1,5 kg de picanha), molho inglês, sal grosso moído na hora, pimenta do reino moída na hora e mostarda amarela de boa qualidade. Pode colocar bastante mostarda. Fica tri gostoso!
Sabe aqueles furinhos? Assegure-se que os temperos estão em todos aqueles pequenos espaços, principalmente o alho e a mostarda. Deu para perceber que gosto bastante de alho, né?
Ponho a carne, com a parte da gordura virada para cima, em uma assadeira forrada com papel laminado e coloco vinho tinto. Deixo macerar por uns 30 minutos.
Há! O vinho. Nem pensar em usar vinho tinto suave, por favor! Tudo bem que eu não utilizo um vinho caro francês ou português, mas um tinto seco é fundamental. Ultimamente tenho utilizado para essa receita o Salton Assemblage (Cabernet Saugignon / Merlot) da região de Bento Gonçalves que sai, aqui em Porto Alegre, entre de R$ 10,00 e R$ 13,00.

Cubro a assadeira com papel laminado e levo ao forno médio. Quase no final do cozimento retiro o papel laminado e deixo a parte da carne virada para cima para pegar um tom dourado.

Sei quando a carne está "no ponto" quando espeto, com um garfo trinchante, o meio da peça da picanha e ainda sai um pouco de sangue, mas o tempo de forno vai depender do gosto de cada um e do tamanho da carne.

Sabe o molhinho que fica na assadeira? Fica excelente coá-lo e jogar por cima da carne no prato...












3 comentários:

iliane disse...

adorei a ideia da picanha..muito boa mesmo..passando e conhecendo seu blog..muito bom...bjus

Carmencita disse...

Essa picanha está anotada, pintou por aquí, será essa receita que vou fazer.Bjss

piti disse...

É a
segunda vez q faço esta receita.Muuito bom mesmo, Recomendo