29 de nov de 2008

Dia 29: Dia do Gnocchi da Fortuna!!!!



A LENDA


Diz a lenda que no dia 29 de dezembro de um ano qualquer, São Pantaleão, vestido de andarilho, perambulava por um vilarejo na Itália.

Com bastante fome, São Pantaleão bateu à porta de uma casa e pediu comida. A família, que era grande e pobre, não tinha muito o que comer. Apesar disso, eles dividiram o seu gnocchi com o andarilho, cabendo a cada um sete massinhas de batata.

São Pantaleão comeu, agradeceu a acolhida e foi embora. Quando a família foi recolher os pratos, descobriu que embaixo de cada um havia bastante dinheiro. Por isso, o dia 29 de cada mês ficou conhecido como o dia do Gnocchi da Fortuna ou da Sorte.

O ritual desse dia consiste em colocar dinheiro embaixo do prato, comer os primeiros sete pedacinhos da massa em pé, fazer um pedido para cada um deles e depois, comer à vontade.
Aliada à atual crise mundial resolvi que seria uma boa oportunidade de comemorar esse dia e, diante da dúvida sobre a economia norte-americana, resolvi apostar no Euro!


A RECEITA


Em junho, aproveitando o friozinho da Serra Gaúcha, passei um fim de semana no Villa Europa em Bento Gonçalves. Em meio aos vinhedos da Miolo, pude apreciar a cozinha franco-italiana do Restaurante Leopoldina, cujo cardápio é assinado pelo Chef Philippe Remondeau - renomado Chef responsável pelo Restaurante Francês Chez Phellipe, em Porto Alegre.

Comprei essa semana o livro do Remondeau e vi que tinha a receita do "Gnocci de Pommes de Terre Douce" ou Gnocchi de Batata Doce que experimentei na ocasião e que fiquei encantada. Sendo assim, aproveito o dia do Gnocchi da Fortuna para dividir essa receita com vocês!



Gnocchi de Batata Doce ao Gratin de Gorgonzola



Para o Gnocchi
Ingredientes:

1/2 kg de batata doce
125 ml de leite integral
100 g de manteiga
200 g de farinha de trigo
2 ovos
5 g de sal
Pimenta do reino moída na hora à gosto

Modo de Preparo:

Descasque as batatas e coloque-as para cozinhar em água e sal. Esprema-as como um purê.
Ferva o leite com a manteiga e o sal. Incorpore a farinha de trigo e deixe secar no fogo, mexendo sempre. Adicione os ovos um a uma e o purê de batatas. Tempere com a pimenta moída na hora. Modele os gnocchis e reserve.

Em uma panela com água fervente, coloque a massa para cozinhar por 2 minutos ou até que as bolinhas emerjam à superfície. Coloque-as em um prato, cubra-as com o molho de gorgonzola e, com a ajuda de um maçarico, faça o "gratin".


Para o Molho
Ingredientes:
1 pote de 350 g de nata (ou creme de leite fresco)
Queijo gorgonzola à gosto
Maizena misturada em um pouco de leite
Noz-moscada à gosto
Modo de Preparo:
Coloque a nata para ferver. Acrescente o queijo amassado e misture. Coloque a maizena misturada ao leite e ferva por alguns instantes. Tempere com a noz-moscada e sirva.

Fonte: A receita do gnhocci foi retirada do livro Gastronomia Francesa de Philippe Remondeau.

16 de nov de 2008

Noite de Sábado: Entre Civil e Penal, um Bolo de Caneca!



Final de semestre... estudando feito louca...

Pois bem, na madrugada, passando do assunto de Civil para o de Penal, me deu uma vontade incomensurável de comer um bolo de chocolate. Mas tem um pequeno problema: o maridão está viajando. Só volta de um curso em Chicago daqui a um mês... como vou fazer um bolo só para mim? Daqui a pouco vou precisar é de um SPA para perder os quilinhos adquiridos com esta delícia... e aí a lâmpada acende: o bolo de caneca!!!!

O bolo de caneca tomou conta de vários blogs de culinária e resolvi fazê-lo para testar.
Se você, aí do outro lado, quer fazer um bolo rápido (3 minutos no microondas) - é isso mesmo! Não escrevi errado - é isso que esse bolo promete...



Ingredientes:
1 ovo pequeno
4 colheres (sopa) de leite
3 colheres (sopa) de óleo
2 colheres (sopa) rasas de chocolate em pó
4 colheres (sopa) rasas de açúcar
4 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo
1 colher (café) rasa de fermento em pó

Modo de Preparo:
Coloque o ovo na caneca e bata bem com garfo. Acrescente o óleo, o açúcar, o leite, o chocolate e bata mais um pouco. Depois acrescente a farinha de trigo e o fermento. Mexa delicadamente.
Leve ao microondas na potência máxima por 3 minutos.

Comentários:
A caneca deve ter capacidade para 300ml e a medida da colher é sempre rasa.
Fiz um brigadeiro mole de microondas para ir comendo aos poucos, como cobertura do bolo de caneca. Esta foi a salvação!
Tudo bem que a receita não exige tanta preparação, não leva nenhum ingrediente sofisticado, mas nunca comi um bolinho tão "xoxo"... a aparência fica feia e o sabor é tão sem graça... quase uma esponja, coitado! A receita está aí. Não recomendo. Se quiser fazer, ok, mas é por sua conta e risco!

1 de nov de 2008

Tricks or Treats? - Docinho de Abóbora Caramelado



Tricks or Treats? - Travessuras ou Gostosuras?


Originária de um rito pagão, existente na Inglaterra ao tempo dos Celtas, entre os séculos VII e VI a.C., a celebração do Halloween ou Dia das Bruxas chegou nos Estados Unidos em 1840, através dos Irlandeses fugidos da fome. No Brasil, sob influência norte-americana, o Dia das Bruxas é comemorado em 31 de outubro e tem como principais símbolos:

- Abóbora: Simboliza fertilidade e sabedoria.
- Bruxa: Figura principal do halloween, as bruxas estão diretamente relacionadas eo ritual do halloween, assim como a elaboração de feitiços.
- Vassoura: Simboliza o poder feminino e serve para limpar a carga negativa.
- Caldeirão: Os convidados da festa devem tirar de dentro do caldeirão moedas e mensagens com pedidos aos espíritos.
- Gato preto: Simboliza a capacidade de meditação, de recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade.
- Aranha: Simboliza o destino e, o fio que tecem suas teias, simboliza o meio, o suporte para seguir em frente.
- Sapo: Simboliza o poder da magia feminina.
- Morcegos: Simbolizam a clarividência.
- A vela: Simboliza o caminho para os espiritos do outro plano astral.
- Cor laranja: Simboliza a vitalidade e a energia que gera a força.
- Cor preta: Cor do Mestre.
- Cor roxa: Cor da magia ritualística.

Segundo a lenda, na noite de 31 de outubro, os espíritos dos mortos voltariam à terra para entrar nos corpos dos vivos. Uma forma de escapar seria a utilização de máscaras horripilantes ou oferecer doces para ganhar-lhes a simpatia.

Eu prefiro oferecer doces...então, seguindo a tradição da abóbora, segue a minha oferenda! ;)




Docinho de Abóbora Caramelado



Ingredientes:

1/2 kg de abóbora-moranga picada
1 gema peneirada
2 colheres (sopa) de manteiga
1 caixinha de leite condensado
2 xícaras (chá) de coco fresco ralado
1 colher (chá) de cravo-da-índia em pó
calda
2 xícaras (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de vinagre

Modo de Preparo:

Leve ao fogo uma panela com a abóbora e 2 xícaras (chá) de água por 15 minutos, ou até ficar macia. Retire do fogo, escorra a água e passe a abóbora, ainda quente, pelo espremedor, aparando o purê em uma panela. Misture a gema, metade da manteiga, o leite condensado, o coco e o cravo. Leve ao fogo baixo e cozinhe, sem parar de mexer, por 15 minutos, ou até obter um doce encorpado que desgrude do fundo da panela. Retire do fogo, transfira o doce para uma tigela, cubra com o filme plástico e deixe amornar por 15 minutos. A seguir, unte as mãos com a manteiga restante e faça 40 bolinhas de 2 cm de diâmetro. Coloque-as em um refratário e leve à geladeira por 1 hora.

Calda: leve ao fogo em outra panela o açúcar, 1 xícara (chá) de água e o vinagre e deixe cozinhar, sem mexer, até obter uma calda caramelada em ponto de fio grosso. Com um auxílio de um garfo, banhe as bolinhas na calda, retirando o excesso, e disponha-as em 2 fôrmas forradas com papel-manteiga. Se preferir, decore com fios de caramelo.

Fonte: Revista Água na Boca